top of page

A real percepção de valor da Natação Infantil



Texto escrito em 2017, mas ainda atual.

Fruto de uma discussão surgida recentemente no grupo da UNEN (União Nacional de Escolas de Natação), decidi expressar minha visão sobre como valorizar a natação infantil quando comparada a outras atividades.


No mundo contemporâneo é importante para uma criança ser exposta e aprender um ou mais idiomas, além do português, isso não há dúvidas. Grande parte dos pais vivencia na sua vida profissional, de forma positiva ou negativa, o quanto o domínio de um outro idioma é importante para sua ascensão na carreira, seja em uma empresa como funcionário ou em seu próprio negócio. Isso faz com que ele se importe muito com esse fator na educação de seu filho. Além disso, a partir da globalização a exposição ao mundo se tornou algo escancarado, tornando o domínio do idioma inglês, essencial para se conectar. A discussão dos pais não é sobre a necessidade de aprender inglês e sim, onde fazer. E para alegria das escolas de idioma, a maioria das escolas regulares oferece um serviço bem abaixo do desejável nesta área, tornando quase mandatório a utilização do serviço de uma escola de idiomas para complementar a formação da criança.


Já com relação a aprendizagem da natação a percepção de valor é menos direta, em geral. Grande parte dos pais têm uma relação cotidiana distante com a natação, sabendo pouco sobre os benefícios que ela pode proporcionar para os filhos. Quando matriculam seus filhos nas aulas o fazem por que é “uma forma de segurança”, ou “para ajudar na saúde” ou então oferecer “uma atividade que toda criança deve fazer” “ou porque os amiguinhos estão fazendo”, etc... Todos os argumentos são legítimos, mas quando comparados com a decisão dos pais sobre, aprender um idioma, a convicção da decisão é diferente. Exceção, que comprova a regra, é quando a criança tem recomendação médica para a prática da natação, aí a decisão entra no mesmo nível de convicção e racionalidade por uma escola de idiomas.


Quando comparadas as situações fica claro que, por uma falha de atuação do nosso segmento, não vendemos adequadamente os benefícios de começar atividades na água o quanto antes, e permanecer nela por toda a infância. Não acrescenta muito ao conhecimento dos pais dizer que natação ajuda na saúde, ou então que ajuda na segurança aquática, ou na socialização, pois isso eles já ouviram. Temos que deixar de ser genéricos em nossa comunicação com o mercado. No passado isso era mais complexo, pois não havia conhecimento científico disponível que nos ajudasse. Hoje, apesar de um volume ainda restrito de estudos específicos de natação infantil, temos uma boa base para disseminar informações que mostram o benefício da atividade física, e, em especial na água, para o desenvolvimento saudável e, melhor ainda, com ganhos expressivos quando comparados com crianças que não tem essa oportunidade. O melhor exemplo disso é o estudo feito pelo Departamento de Educação da Griffith Unversity da Austrália, liderado pela Dra Roben Jorgensen, com quase 7 mil crianças em idade pré-escolar e que mostra os ganhos das “crianças nadadoras”desde a mais tenra idade quando comparadas com crianças em fase pré-escolar, que não fizeram essa atividade. Os ganhos expressivos são em raciocínio matemático, expressão oral, compreensão de direções entre outros. (Consulte a pesquisa em www.inati.com.br). Este tipo de informação racional deve constar em nossa comunicação. Lógico que trabalhar com emoção na comunicação é sempre atraente, mas ela deve ser acompanhada de benefícios concretos.




Outro fator de importância substancial é trabalhar adequadamente com a segurança aquática. O entendimento padrão do cliente que contrata o serviço de natação para seu filho é que “aprendendo a nadar ele está livre de qualquer problema”, Pensamento longe da realidade, mas se o cliente não for corretamente informado poderá abreviar em muito o tempo da criança na escola de natação, com a falsa sensação que ele já sabe o suficiente. Trabalhando corretamente a informação junto as crianças e aos pais, esse serviço agregado aumenta a percepção de valor para o cliente.


Assim sendo, informação embasada mostrando os benefícios de nossa prestação de serviço é uma arma poderosa que deve constar em nossa comunicação com o mercado seja on ou off line. Se mudarmos nossa maneira de informar enfatizando os benefícios de curto, médio e longo prazos que a natação oferece, explicando os porquês, estaremos criando uma percepção de valor diferenciada para nossa atividade, essencial para subir no ranking de prioridades na vida das crianças e consequentemente, dos decisores de compras, os pais.


Vivemos em uma sociedade onde a competição não é mais apenas com aqueles que oferecem a mesma atividade que nós. Ela é muito mais complexa, pois tudo concorre com tudo. Por melhor situação financeira que nossos clientes tenham os recursos deles serão sempre limitados, portanto não poderão consumir tudo o que desejam e farão escolhas por aquilo que lhes parecer mais relevante. Some-se ao fator econômico uma outra moeda, cada vez mais escassa e mais importante na vida das pessoas; o tempo. No caldeirão de consumo que compõe a vida de cada cliente, as escolhas são hierarquizadas em função da relevância que cada produto ou serviço tem em sua vida.

Assim sendo, precisamos promover de forma correta a importância da natação na vida das crianças mostrando de forma embasada como ela tem grande relevância em sua formação global. Cabe a nós, que vivemos dessa atividade, informar corretamente a sociedade sobre a importância daquilo que fazemos e assim, receber a valorização adequada, subindo na hierarquia de valor na mente dos clientes.


Temos um serviço que vale ouro e que contribui efetivamente para o desenvolvimento de nossos pequenos consumidores, mas por não sabermos mostrar seu valor, está sendo comercializado a preço aquém de sua importância.


Rafaele Madormo

Diretor Executivo do INATI

Sócio da Academia Via Esporte

215 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page